Lançamento da nova linha AC5 para Ásia reúne empresários no Porto do Pecém

1 de Março de 2018 # # # # #

Luiza Dantas - Coordenadora de Comunicação da CIPP (85) 3372.1500 Marcos Studart - Fotos

O serviço, onde Pecém será a única parada do Brasil, diminui o tempo de viagem das embarcações para o continente asiático para 29 dias

Nesta quarta-feira (28), o diretor presidente do Porto do Pecém, Danilo Serpa, em parceria com a Maersk Line, a Hamburg Süd, e a APM Terminals, apresentaram aos empresários, clientes, órgãos intervenientes e parceiros, o novo serviço que atenderá, a partir de abril, a Ásia. A linha AC5 que diminui o tempo de trânsito das embarcações para o continente asiático para 29 dias, trará uma gama de oportunidades de novos negócios para o Ceará. O evento contou com a participação de cerca de 160 pessoas, entre eles o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado Ceará, César Ribeiro, e representantes da Receita Federal, Anvisa, Antaq, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), dentre outros.

Para Danilo Serpa, presidente do Porto do Pecém, a conquista deste novo serviço concretiza o papel do porto cearense como uma das principais portas de saída e entrada de mercadorias do Nordeste. “Isto é resultado do trabalho que tem sido realizado no porto desde o início de seu funcionamento. Hoje estamos colhendo os frutos dos investimentos do Governo do Ceará e das parcerias aqui estabelecidas ao longo desses anos, transformando o Pecém neste centro de distribuição de mercadorias”, destaca

A frequência do serviço será semanal e vai gerar um aumento significativo nas movimentações através do porto cearense. A expectativa é de que haja um incremento de, pelo menos 31 mil contêineres em negócios por ano com o inicio do funcionamento da AC5. Conforme a apresentação de Marcelo Gurgel, executivo de vendas da APM Terminals, empresa responsável pela operação, o novo serviço pode atrair empresas, principalmente da região Norte/Nordeste, que utilizam outros portos para chegar até a Ásia. .

Lidervan Morais, diretor executivo da Associação Baiana de Produtores de Algodão (Abapa), mostrou seu entusiasmo pela oportunidade de escoar a produção baiana através de um porto no Nordeste. “Ficamos satisfeitos com a estrutura oferecida pelo Porto do Pecém. Acreditamos que este serviço será vantajoso, visto que é novo, com certeza será mais ágil, além do tempo de transito. Estamos analisando as vantagens logísticas para realizar a transferência para cá”, destaca Morais.

Durante o evento, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Cesar Ribeiro, destacou o recorde de exportações do Ceará, que ultrapassou a marca de US$ 2 bilhões, enfatizando a importância do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP), neste resultado. “Sabemos que a siderúrgica e também as outras empresas que movimentam toda sua carga através de Pecém, tem uma grande participação neste resultado. É um orgulho poder dizer que temos placas de aço produzidas aqui, sendo enviadas para o mundo inteiro”. Para Ribeiro, o Ceará hoje tem o mercado internacional como um ambiente muito mais acessível. “Podemos atribuir isto ao trabalho intenso do Governo do Ceará, a parceria com o setor privado e os projetos que estão se consolidando a fim de transformar o estado como um ponto de conexões internacionais”, finaliza.

Novo serviço

A linha AC5, da Maersk Line, maior empresa de transporte contêineres do mundo, junto com a Hamburg Süd. ligará o Porto do Pecém com os principais destinos da Ásia: Singapura (29 dias), China (34 dias), Hong Kong (35 dias), Xiamen (37 dias) . Além disso, as mercadorias poderão alcançar mercados como Tailândia, Indonésia, Filipinas, Malásia e Camboja, totalizando 500 milhões de pessoas.